Clique Aqui e veja mais imagens BEM VINDO AO OLHAKIONLINE -UM ANO DE 2016 DE MUITA PAZ. Nosso ibope é assim, Obrigado por acessar Clique Aqui e veja mais imagens

SUPER MINI PROJETOR PROJETA ATE 100 POLEGADAS

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Tráfico humano em Portugal afecta mais os homens

Oitenta e seis pessoas foram sinalizadas no ano passado, em Portugal, como eventuais vítimas do crime de tráfico de seres humanos. Entre estas situações, 22 foram confirmadas e a maioria envolveu homens vítimas de exploração laboral, revelam dados divulgados pelo Observatório do Tráfico de Seres Humanos.
A maior parte dos casos confirmados aconteceu nas zonas centro e norte do país e os casos de exploração laboral estão sobretudo ligados ao sector da agricultura e da construção civil. Sete das 22 vítimas identificadas eram portuguesas. Os dados constam do relatório anual do Observatório do Tráfico de Seres Humanos, que aguarda validação do Ministério da Administração Interna (MAI) para ser divulgado oficialmente.

Em 2009, o relatório identificou 85 pessoas sinalizadas como eventuais vítimas: 61 eram mulheres, 18 eram homens e os restantes cinco casos não foram caracterizados devido à falta de informação. Entre estes casos, a maioria envolvia mulheres estrangeiras em situações de tráfico para exploração sexual.

Mulheres e crianças são mesmo apontadas como dois dos grupos mais vulneráveis ao tráfico de seres humanos, mas nem sempre os casos sinalizados acabam por ser depois confirmados: a sinalização pode ser feita por qualquer pessoa ou instituição, depois segue-se o processo de averiguação pelos órgãos de polícia criminal.

"A investigação destes casos é sempre muito complexa: a maior parte das vítimas não são pessoas que são raptadas para outro país, são pessoas que imigram, indo atrás de promessas de trabalho, muitas vezes falsas, e que caem frequentemente numa relação de dependência com o traficante", diz Joana Wrabetz, chefe da equipa do Observatório do Tráfico de Seres Humanos.

Com o agravamento da situação social em Portugal e com o eventual reforço dos movimentos de emigração, Joana Wrabetz considera importante lançar um "alerta": "Em tempos de crise, com a degradação da situação económica, com o aumento do desemprego, as pessoas ficam mais expostas a este tipo de situações. É preciso, por isso, que estejam alerta para estes perigos."

O relatório anual do Observatório do Tráfico de Seres Humanos tem por base o sistema de monitorização do tráfico de seres humanos, criado pelo MAI em 2008. Este sistema introduziu um procedimento único de registo para este tipo de casos, que é comum a todas as forças e serviços de segurança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário