Clique Aqui e veja mais imagens BEM VINDO AO OLHAKIONLINE -UM ANO DE 2016 DE MUITA PAZ. Nosso ibope é assim, Obrigado por acessar Clique Aqui e veja mais imagens

SUPER MINI PROJETOR PROJETA ATE 100 POLEGADAS

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Corpo de engenheiro morto no Peru chega a Belo Horizonte

O sobrinho do engenheiro Mário Bittencourt mostra atestado de óbito do tio. Foto: Rodrigo Clemente/O Tempo/Futura Press O corpo do engenheiro Mário Bittencourt, encontrado morto no Peru na última quarta-feira, chegou na tarde desta segunda a Belo Horizonte (MG) e foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), a pedido da família, informou a empresa Leme Engenharia. Já o geólogo Mário Guedes, colega do engenheiro, foi sepultado na noite de domingo em São Paulo.
Guedes e Bittencourt eram funcionários da Leme, subcontratada pela empresa peruana SIZ para fazer um estudo de engenharia. Na segunda-feira passada, eles saíram para verificar o melhor lugar para construir uma hidrelétrica no Rio Marañón, na região de Jaén, a 800 km de Lima. Os corpos foram achados dois dias depois, perto de uma estrada, a 1 km um do outro.
Em nota divulgada hoje, a Leme informou que os restos mortais de Bittencourt saíram de Lima na noite de domingo, em um voo da companhia TACA. Ao chegar no Rio de Janeiro, um avião foi fretado pela companhia para levar o corpo até a capital mineira. O enterro deve ser realizado na terça-feira.
A autópsia revelou que não havia qualquer sinal de violência e que os dois tinham um edema no pulmão e outro no cérebro. A imprensa e médicos locais especulam que os brasileiros morreram de uma parada cardiorrespiratória, possivelmente provocada por envenenamento.
Perto do local onde foram encontrados os corpos houve, há dois anos, uma revolta indígena contra uma lei que permitia a expropriação de suas terras, se fosse de interesse nacional. A polícia reprimiu o protesto e vários policiais foram mortos - alguns deles degolados. No Peru, existe muita resistência, por parte da população nativa, a grandes projetos das áreas de mineração e energia que são realizados sem consulta prévia e colocam em risco o meio ambiente ou a propriedade das terras indígenas. Daí, a especulação sobre o possível envenenamento intencional dos dois brasileiros.
A empresa, porém, afirmou que aguarda os resultados de exames laboratoriais e de amostras coletadas por um perito particular contratado pela Leme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário